Atualizado 15/04/2019

Clássico termina em 0 a 0 no Beira-Rio

O primeiro capítulo da grande decisão do 100º Campeonato Gaúcho terminou como começou. Ontem, mais de 45 mil pessoas foram ao Beira-Rio e assistiram um jogo com chances para os dois lados, confusão, empurra-empurra, uso do árbitro de vídeo, mas não viram gols. A decisão do campeão estadual fica para esta quarta-feira, às 21h30min, na Arena. Sem vantagem para nenhum lado, em casa de novo empate, a taça será decidida nos pênaltis. Antes de a bola rolar, os técnicos promoveram uma surpresa em relação aos times que estavam sendo especulados. Do lado colorado, Rodrigo Dourado não se recuperou de uma batida no joelho esquerdo e foi substituído por Rithely Do lado gremista, Renato Portaluppi colocou Diego Tardelli no banco e mandou Alisson a campo. Assim como todo clássico, o começo de jogo foi tenso e com faltas em excesso. O primeiro chute a gol foi dos donos de casa. Aos seis minutos, Rithely deixou a bola para Nico López, que bateu colocado, assustando Paulo Victor. E o Inter segue com a sina de perder um jogador ainda no primeiro tempo – como aconteceu nos jogos da Libertadores. Rithely, substituto de Dourado, sentiu alguma lesão e precisou sair para a entrada de Rodrigo Lindoso. Com mais posse de bola, o Grêmio trocava passes, enquanto que o Inter aguardava o contra-ataque, com a velocidade de Nico e a presença de Guerrero. E não demorou para os visitantes chegarem com perigo. Aos 21, Alisson recebeu na intermediária, se livtou da marcação, e chutou forte. A bola ainda tocou no travessão antes de sair. Se as jogadas do Inter não saíram com a troca de passes, Patrick partiu para cima em jogada pessoal, na base da garra. Aos 31, o camisa 88 se livrou de Maicon com um corte seco na linha de fundo e cruzou rasteiro para a pequena área. Guerrero se esticou todo e desviou para o gol. Atento, Paulo Victor salvou o que seria o primeiro gol colorado. E já é de praxe, clássico sem confusão não é Grenal. Já no final do primeiro tempo, o zagueiro Víctor Cuesta chegou com força excessiva em dividida com Matheus Henrique, Portaluppi não gostou e partiu para cima do argentino, dentro de campo, e fechou o bolo em frente ao banco de reserva gremista. O árbitro Leandro Vuaden apenas conversou e não aplicou nenhum cartão. 

Uso do VAR, chances para os dois lados, mas nada de gols Os times voltaram sem alterações para a etapa final. Claramente, os donos da casa vieram com alguma indicação de permanecer mais com a bola. Com D’Alessandro aparecendo mais, o Colorado começou a chegar no campo de ataque com troca de passes. Por outro lado, o Grêmio manteve o mesmo estilo de jogo da primeira etapa. Sem muita emoção nos minutos iniciais, a curiosidade ficou pela utilização do árbitro de vídeo (VAR) pela primeira vez em um Grenal. O atacante André, ao passar pelo zagueiro Rodrigo Moledo, derrubou o defensor com o braço. Após conferir as imagens, aos dez minutos, Vuaden mandou o jogo seguir e manteve o cartão amarelo aplicado minutos antes. Com bola rolando os comandados de Portaluppi tiveram duas chegadas perigosas em sequência. Aos 20, Jean Pyerre passou por Edenilson, entrou na área e bateu cruzado, mas para fora. No minuto seguinte, Everton deu um lindo drible de corpo em Zeca e partiu em velocidade, driblou Moledo e chutou. Lomba salvou o Colorado. Aos 29, foi a vez de Paulo Victor salvar a pátria gremista. Guerrero acionou Nico, em velocidade, dentro da área, e o uruguaio concluiu forte para o goleiro tricolor defender com os pés. Já nos minutos finais, aos 41, Nico cobrou escanteio e Patrick cabeceou firme, forte, assustando os gremistas.

Fonte: Jornal da Cidade
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções